Já está disponível o décimo texto de análise da execução orçamental, um projeto IPP. A análise da execução de outubro de 2017 realizada para o Observador, “Execução orçamental de outubro. Crescimento garante a redução do défice em 2017′”, pode ser encontrada aqui.

Nesta análise, Joana Vicente e Luís Morais destacam o efeito positivo que o aumento da receita fiscal (5,1%) tem representado no défice, que obteve uma melhoria de 2,6 M€. Está, assim, assegurada a meta de 1,6%, sendo as últimas estimativas do IPP de 1,2%.

São as despesas com pessoal que apresentam o principal desvio negativo. No que diz respeito a 2017, o Governo reviu a estimativa para +371 M€ face ao previsto inicialmente, estimando o IPP um excesso superior.

A dívida dos Hospitais EPE já ultrapassou os mil M€. No entanto, já foi comunicada uma injeção de 1,4 mil M€ até ao final do ano para fazer face a este problema – esperando-se que esta regularização seja acompanhada por mudanças estrtuturais que resolvam os potenciais problemas de gestão das unidades de saúde.

Já a Administração Local mantém uma deterioração do seu saldo, a um ritmo médio de 15,4% desde maio, tendo o seu saldo sido revisto de 1.020 M€ para 644 M€. No entanto, esta dinâmica assenta num aumento substancial do investimento local – que poderá, muito provavelmente, estar ligado com as eleições autárquicas.

Share →