Paulo Trigo Pereira e Ricardo Cabral, da Direcção do IPP estão entre os signatários do chamado “Manifesto dos 70”, que defende a insustentabilidade – e consequentemente, a necessidade de reestruturação – da dívida pública de Portugal.

Ver manifesto na integra aqui (jornal ‘Público’).

A este propósito, comenta Paulo Trigo Pereira:

Os próximos quatro anos serão dos anos mais difíceis das próximas décadas e serão tanto mais difíceis (em termos de desemprego, empobrecimento, emigração, exclusão social) quanto menos crescermos e quanto menor for a reestruturação da dívida. Esta é uma maneira diferente de ler o manifesto dos 70 cidadãos acerca da restruturação da dívida lançado publicamente esta semana. Convém lembrar que, ao contrário do que alguns querem fazer crer, a reestruturação da dívida e a extensão das maturidades (dos empréstimos europeus) já começou a ser feita. Em certo sentido, trata-se assim da afirmação pública e saliente de que é preciso aprofundar esta estratégia de reestruturação, o que não significa que o trabalho e esforço de consolidação orçamental com vista ao quase equilíbrio estrutural não deva ser prosseguido.

Share →