Publicamos aqui o nosso sexto Policy Paper: A introdução do voto preferencial em Portugal: uma experiência eleitoral (e respetivo Apêndice A), de Marina Costa Lobo, José Santana Pereira, e João Tiago Gaspar.

Neste paper analisam-se os resultados de uma experiência eleitoral levada a cabo nas eleições legislativas de 4 de outubro para aprofundar empiricamente a questão da exequibilidade do sistema de voto preferencial em Portugal. Foi realizada uma sondagem à boca das urnas com voto em urna presencial nos círculos eleitorais de Beja, Braga e Lisboa. Em cada círculo eleitoral, a amostra foi dividida em 3 grupos que votaram usando um de três boletins. O Boletim A correspondia ao boletim em vigor; o Boletim B permitia votar ou num partido ou num candidato; e o Boletim C permitia votar num candidato.

Share →